Capa | English Version

Torre de Babel

Bia Peine e Daltony Nóbrega, casados com a profissão e na vida real, recriam a gênese dos serviços de tradução em um artigo divertido e relaxante.

 

Padrões de tradução – quem precisa deles?

Andrew Fenner responde à pergunta que muitos de nós já nos fizemos em algum momento de nossas carreiras ou no desenvolvimento de nossos negócios.

Preparando um projeto para tradução
Kim Vitray

Se você estiver comprando tradução, corrija seus processos antes de começar.

 

Este artigo pressupõe que você já deu o primeiro passo para conseguir uma tradução bem-sucedida — identificar um fornecedor qualificado com quem possa desenvolver uma boa relação de trabalho e uma experiência consistente e bem consolidada. Ou melhor, você tem mais de um fornecedor desse tipo em um pool de possibilidades, a partir do qual pode fazer a melhor escolha, considerando o prazo, o tamanho e o conteúdo de um projeto específico. Agora, de que forma você pode ajudar o fornecedor escolhido a oferecer o melhor produto possível para atender às suas necessidades de prazo, qualidade e custo?

Se você tiver controle sobre o conteúdo do documento a ser traduzido (isto é, se for algo que você ou sua empresa estiver escrevendo), examine cuidadosamente esse conteúdo em busca de palavras e frases que possam dificultar a tradução, como gíria e expressões coloquiais. Por exemplo, em nosso site, nós nos referimos ao gerente geral como “head honcho” (manda-chuva) — afinal, estamos no Texas! — e ao nosso administrador de sistemas como nosso guru nº 1 em computadores. Mas, quando localizamos o site para vários idiomas, examinamos o texto e revisamos frases como essas, percebendo que elas apresentariam dificuldades para o tradutor na escolha de palavras e, para o público-alvo, no significado. Faça com que seu texto seja o mais claro, conciso e completo possível, mesmo que precise contratar um editor profissional.

Se não for possível, certifique-se de que o texto esteja finalizado e de que foram feitos todos os ajustes, antes de enviá-lo para tradução. Se ocorrer após o início do processo de tradução, a revisão dos documentos de origem exige um tempo extra para organizar, coordenar e implementar, além de aumentar o potencial das falhas de entendimento e de comunicação que provocam erros. Tempo é dinheiro, e é necessário um tempo substancial para administrar a revisão — ainda que seja uma só — de um original já na fase de tradução para vários idiomas.

Você talvez esteja envolvido com projetos de tradução sobre os quais não tem controle do conteúdo. Nesse caso, tenha em mente que a tradução só consegue ser tão boa quanto o original, principalmente em documentos técnicos. Se o original for complexo e mal escrito, a tradução refletirá essa realidade. É claro que o fornecedor da tradução tentará torná-la tão compreensível e clara quanto possível, mas criar um produto localizado de qualidade será um desafio ainda maior. Além disso, os tradutores devem decidir com cuidado entre oferecer uma tradução bem escrita e respeitar a integridade do documento de origem.

Identifique e comunique ao fornecedor o público-alvo da tradução. Há exigências governamentais a serem cumpridas? Qual o nível de leitura e compreensão do usuário esperado? Em que país ela será usada? Muito provavelmente, o público-alvo não afetará a qualidade, cronograma ou custo da tradução, mas o impacto sobre a “adequação ao uso” — um conceito-chave para escolher determinada palavra em vez de outra — pode ser enorme.

Quando escrever profissionalmente, leve em consideração para quem e em nome de quem está escrevendo; a prática da tradução não é diferente.

Sinais de um projeto bem preparado
Um de meus momentos favoritos no dia de trabalho é quando um gerente de projeto faz ohs e ahs para um projeto recebido que um cliente organizou cuidadosa e ponderadamente. Quando isso acontece, sabemos que podemos oferecer nosso melhor produto. A seguir estão algumas coisas que você pode fazer para garantir o deleite de seu fornecedor, o que significa que você também ficará satisfeito com a tradução.

Localize e forneça os originais em arquivos eletrônicos, se existirem. Você deve enviar apenas os arquivos eletrônicos que devem ser traduzidos, nem mais nem menos. Caso envie arquivos adicionais como material de referência, indique claramente que eles servem para isso. Nomeie os arquivos de origem de modo que faça sentido tanto para você quanto para o fornecedor da tradução. Se mencionar os arquivos originais em sua correspondência, use os nomes exatos. Esse é também o momento ideal para informar ao fornecedor sobre alguma convenção especial que você ou seu pessoal técnico pode ter para nomear os arquivos no idioma de destino.

Tenha certeza de que qualquer cópia em papel enviada corresponda — exatamente — ao respectivo arquivo eletrônico. No caso de vários arquivos de origem, notas adesivas nas cópias de papel indicando os respectivos nomes dos arquivos são úteis, poupam tempo e evitam aborrecimentos.

Forneça material de referência e/ou uma lista da terminologia, se houver. Se não houver uma lista da terminologia disponível no momento, vale investir um tempinho no desenvolvimento de uma lista, ainda que pequena, principalmente se for de termos, abreviações e acrônimos específicos à sua organização.

Cuide antecipadamente dos detalhes administrativos do seu lado, como obter um pedido de compra (PO) ou providenciar um termo de confidencialidade para assinar.

Envie um “pacote” completo de uma vez só — instruções por escrito, cópia em papel, cópia eletrônica, material de referência, lista de terminologia e informações para contato. Mesmo com base em emails dos mais curtos, seu fornecedor deve saber quem você é e o que você quer, mas informações completas economizam tempo em longo prazo e garantem um processamento eficiente do pedido.

A tradução de elementos gráficos pode ser mais complexa e problemática do que a de texto. Pergunte a seu fornecedor sobre esse assunto e esteja preparado para falar com um gerente de projeto que terá perguntas muito específicas. Os arquivos eletrônicos estão disponíveis? Que software foi usado para criá-los? Em que formato eles estão? Eles são editáveis? Você precisa dos arquivos de destino em formato eletrônico? As fontes também precisam de atenção especial. Quando fontes especiais forem necessárias para o layout do documento, você poderá fornecê-las, o fornecedor da tradução precisará comprá-las ou elas deverão ser substituídas por fontes similares? Elas são para que sistema operacional: Windows ou Macintosh?

Se a tradução for para um idioma com caracteres de byte duplo, como japonês ou chinês, ou para um idioma de escrita bidirecional, como árabe ou hebraico, você tem as fontes e o software para exibi-las e imprimi-las corretamente? Existem soluções fáceis e eficazes para a maioria das situações de fontes e gráficos, e os fornecedores de tradução provavelmente terão conhecimento sobre elas. Basta informá-los sobre as questões existentes em seu projeto.

Problemas a resolver
O mais importante é comunicar ao fornecedor com clareza e transparência (e por escrito!) suas expectativas, exigências e instruções. Se você não estiver seguro quanto às respostas para as próximas perguntas, elas poderão ajudá-lo a decidir o que é melhor para suas necessidades.

  • Quais são os idiomas de destino?
  • Em que localidade cada idioma será usado?
  • Qual a forma de entrega? Cópia em papel? Se em cópia eletrônica, em que formato: Microsoft Word, Excel ou PowerPoint, PDF, Quark ou algum outro?
  • Você precisa de um orçamento? Este deve ser entregue pelo fornecedor, por escrito, e você também deve confirmar por escrito a aceitação do orçamento.
  • Qual o método de entrega? Entrega expressa? Disquete? CD? Email? Fax? FTP? Vários métodos combinados?
  • A quem o trabalho pronto deve ser entregue?
  • Qual a data específica ou o prazo geral para concluir a tradução? Se for um projeto longo, você quer que seja entregue por partes, à medida que ficar pronto, ou completo, no final?
  • Há alguma exigência especial de formatação ou outras instruções?
  • Com quem o fornecedor deve entrar em contato em caso de dúvida, e qual a melhor forma e o melhor horário para fazer isso?
   

Mitos sobre tradução
Se tradução é algo novo para você, deixe que o fornecedor lhe explique o processo, faça muitas perguntas, forneça o máximo possível de informações e reserve um tempo adequado para a conclusão do trabalho. Lembre-se de que uma alteração no escopo do projeto, como acrescentar ou substituir documentos ou idiomas, afetará o prazo e o custo; adiantar a data de entrega também pode interferir no custo. Cuidado com os seguintes “mitos” sobre tradução:

Qualquer pessoa pode traduzir, desde que tenha cursado dois anos de um idioma no colégio, tenha vivido em outro país por três anos durante a infância ou possa digitar em um idioma estrangeiro.
A verdade: escrever em outro idioma, que é exatamente no que consiste a tradução, exige o mesmo tipo de aprendizado e vivência que escrever no idioma original.

Um tradutor pode traduzir e verter com a mesma facilidade.
A verdade: um tradutor normalmente traduz para seu idioma nativo, e não a partir dele; sem contar que a maioria dos tradutores é falante nativo de um idioma apenas.

Um bom tradutor não precisa de nenhuma literatura de referência.
A verdade: a literatura de referência é imensamente útil para entender o sentido e fazer boas escolhas vocabulares.

Um bom tradutor acerta de primeira, sem precisar de edição ou revisão.
A verdade: quando escreve seus artigos, memorandos ou relatórios, você acerta logo na primeira vez, sem edição nem revisão?

Em breve, os tradutores serão substituídos por computadores.
A verdade: claro, assim que a inteligência artificial funcional estiver desenvolvida e amplamente implementada.

   

Um manual técnico com 100 páginas, que precisou de quatro meses e três pessoas para ser escrito, pode ser traduzido por um tradutor em dois dias.
A verdade: vamos supor que um manual com 100 páginas tenha em média 250 palavras por página, com um total de 25.000 palavras para traduzir. Vamos supor também que um tradutor experiente, trabalhando em tempo integral, possa traduzir 3.000 palavras por dia. Um cálculo simples nos mostra que o projeto levará pelo menos oito dias de tradução, sem contar a edição, revisão ou formatação. E essa fórmula pode sofrer o efeito adverso de inúmeros fatores, como a qualidade, a complexidade e o assunto do documento original, o número real de palavras, a “popularidade” dos idiomas de origem e de destino, além da agenda e dos compromissos anteriores do tradutor. A questão é que o trabalho de tradução de qualidade leva um tempo razoável para ficar pronto.

Para traduzir, basta substituir cada palavra do idioma original pela palavra correspondente no idioma de destino.
A verdade: os índios do Alasca têm várias palavras para neve em seus idiomas nativos; o inglês tem apenas uma (e nenhuma no Texas!).

Português é português — em qualquer lugar do mundo.
A verdade: o português do Brasil é diferente do de Portugal, o espanhol do México é diferente do da Espanha e o francês do Canadá é diferente do da França.

Preocupações com a qualidade
“Qualidade” é uma preocupação para muitos compradores de tradução. Se você não consegue ler no idioma de destino, como poderá avaliar o produto? Pergunte ao fornecedor de tradução qual é seu processo de qualidade. Os documentos deveriam sempre ser traduzidos e editados por um falante nativo do idioma de destino. Talvez convenha providenciar uma revisão in loco feita por alguém de sua empresa que viva e trabalhe na localidade de destino. Esse nativo do idioma de destino agregará valor com seu conhecimento do jargão e dos detalhes específicos ao seu setor, sua empresa e sua posição no mercado. Pergunte ao fornecedor se ele está disposto a coordenar esse processo, com revisores selecionados por você, julgando as opiniões e implementando as revisões.

Observe que a “tradução reversa”, em que uma tradução do idioma A para o idioma B é traduzida de volta para o idioma A por outro tradutor, é um método freqüentemente solicitado de testar a qualidade da tradução, apesar de usualmente ineficaz. A maioria dos clientes fica confusa e desapontada com o resultado porque o texto original não é recuperado. A escolha das palavras pode ser tanto precisa quanto subjetiva, e freqüentemente não existem respostas “certas” nem “erradas”.

Em resumo, uma organização detalhada antes de começar o projeto e uma comunicação clara e abrangente com o fornecedor de tradução sobre o escopo do trabalho, incluindo prazo e custo, são as contribuições que você, o cliente, pode dar para garantir que um projeto de tradução seja bem-sucedido. E, tendo feito a sua parte, você pode relaxar e ficar tranqüilo quanto ao seu direito de esperar uma execução de alta qualidade, no tempo certo e conforme suas especificações por parte do fornecedor de tradução. Para obter mais informações, faça o download de Translation: Getting It Right — A Guide to Buying Translations, produzido pelo ITI (Institute of Translation & Interpreting) e disponível em formato PDF no site http://www.iti.org.uk/pdfs/trans/GIR_english.pdf

   
Reproduzido da revista MultiLingual (2005, nº 74 Volume 16 Edição 6) com permissão da Multilingual Computing, Inc., www.multilingual.com. Artigo traduzido e republicado com permissão da McElroy Translation. A McElroy Translation (www.mcelroytranslation.com) tem 39 anos de sucesso no setor, fornecendo traduções para as áreas jurídica, médica e comercial, além de localização de software e sites de Internet.
 

Kim Vitray é gerente de operações na Ralph McElroy Translations Co., onde ajuda os clientes a usar a tradução para conseguir uma vantagem competitiva no mercado global, aprimorando os processos de tempo de execução do serviço, economia de custos, comunicação, qualidade do produto e fluxo de trabalho.

Capa | English Version