Capa | English Version
Recursos do Microsoft .NET

O especialista em internacionalização Bill Hall oferece uma visão abrangente de algumas técnicas de localização para o ambiente de programação .NET

Níveis de maturidade dos fornecedores de localização
Após a publicação de um relatório da Common Sense Advisory, Joergen Danielsen propõe uma nova classificação para os fornecedores de localização.

Localização passo a passo
Eva Müller

Perguntas, respostas e procedimentos para um processo bem-sucedido de localização

 

As etapas dos projetos de localização englobam desde “o conteúdo a ser localizado,” “o responsável pela localização” e “monitoramento do progresso de localização” até “as maneiras de garantir a qualidade.” Este artigo aborda as questões essenciais que devem ser respondidas antes de iniciar um projeto de localização e fornece uma visão geral detalhada das fases de um projeto.

Antes de começar
Antes de iniciar a localização de um produto de software, você deve considerar:

O que precisa ser localizado? Um projeto de localização pode incluir a localização da interface do usuário, a documentação impressa e a Ajuda online ou qualquer combinação desses três itens. Se você restringir a localização à interface, o usuário precisará lidar com dois idiomas — o da interface e o da documentação. Isso reduz a operabilidade do produto pelo usuário.

Meu software é adequado à localização? O nível de internacionalização do software a ser localizado tem um forte impacto sobre a maneira como será feita a localização. Enquanto o suporte a Unicode permite exibir qualquer caractere, um layout fixo para formulários complica o processo de localização, pois é preciso lidar com textos truncados na interface do usuário e colocar abreviações. Leve em conta que os elementos gráficos e os esquemas de cores não são aplicáveis universalmente: seu significado depende do idioma e da cultura de destino. Um layout fixo para relatórios leva a problemas semelhantes aos do layout fixo para formulários. Quando integrar ferramentas de terceiros, verifique se elas estão disponíveis nos idiomas de destino.

Minha documentação foi escrita visando a localização? A documentação também precisa preencher os requisitos da localização. O uso de um estilo consistente poupa tempo e dinheiro. Escrever para um público internacional significa dar exemplos sem referências locais. Se a documentação for compilada de acordo com o conceito de origem única, será possível fornecer vários formatos de saída a partir de uma só origem. Caso contrário, será necessário localizar a documentação por formato de saída.

Quais são os idiomas de destino? Dependendo dos idiomas de destino, a tradução pode ser executada por recursos internos ou externos. Se houver uma tradução anterior similar do idioma de origem atual para o idioma de destino, você deverá usar as memórias de tradução (TMs) da outra tradução.

Meu kit de localização está atualizado? Todas as informações necessárias à localização devem ser fornecidas aos tradutores na forma de um kit de localização. Um kit engloba todos os recursos de localização e é voltado para o idioma de destino. Ele inclui uma descrição do fluxo de trabalho e das ferramentas a serem usadas, além de guias de estilo para a interface do usuário e para a documentação. O glossário de termos, com definições, serve como apresentação do produto e auxilia o tradutor na definição da terminologia no idioma de destino.

 
Text Box: Terminologia    Internacionalização. O processo de planejar e implementar produtos que possam ser adaptados a culturas e idiomas locais específicos facilmente. Às vezes, o termo é abreviado como i18n (i + 18 letras + n).  Localização. O processo de adaptar um produto ou serviço a uma cultura e idioma específicos e à aparência local desejada. Algumas vezes, o termo é abreviado como l10n (l + 10 letras + n).  Pseudolocalização. Um procedimento para verificar se todos os textos da interface do usuário foram internacionalizados. Acrescente um prefixo comum a todos os textos da interface do usuário, execute o aplicativo e verifique se todos os textos da interface do usuário estão começando com o prefixo. Textos da interface sem prefixo não estão internacionalizados.  Conceito de origem única. Documentação conforme com o conceito de origem única significa usar uma origem comum para fornecer a documentação em vários formatos de saída (manual impresso, Ajuda online).  Sistema de memória de tradução. Um sistema de memória de tradução (TM) é uma ferramenta de tradução assistida por computador. A TM armazena em unidades gerenciáveis o texto original e a tradução humana. O sistema de TM sugere a tradução sempre que uma unidade igual ou semelhante aparece novamente.

Fases de um projeto
São essas as fases de um projeto de localização: configuração do projeto, treinamento dos tradutores, definição da terminologia, tradução da interface, teste on-line, tradução da documentação, revisão, finalização da tradução da documentação e lições aprendidas.

Fase 1: Configuração do projeto. A base para gerenciar qualquer projeto, inclusive a localização, é o plano do projeto. Configure seu projeto com etapas definidas, limitações e reservas de tempo. Para avaliar o trabalho, conte as palavras a serem traduzidas na interface do usuário e na documentação; acrescente horas para preparação e revisão da tradução.


As etapas típicas são: preparação da tradução da interface do usuário, tradução da interface, teste da interface traduzida, preparação da tradução da documentação, revisão da documentação traduzida, conclusão da tradução da documentação, compilação da Ajuda online e teste da Ajuda online traduzida.

Inclua reservas de tempo para cada tarefa, a fim de evitar perda do prazo; o tamanho da reserva depende da própria tarefa. Caso sua avaliação do trabalho esteja inexata, providencie uma reserva maior, de forma que uma tarefa possa ser avaliada com mais precisão. Por exemplo, a definição de terminologia de um novo produto em um idioma com o qual você ainda não lidou tomará mais tempo do que a definição de novos termos em um idioma com o qual já tenha trabalhado e para o qual a pesquisa de terminologia não tenha sido muito complexa.

Limitações como término do projeto, finanças e recursos aplicam-se a todas as tarefas.

Fase 2: Treinamento dos tradutores. O primeiro contato de um tradutor com seu software não deve ser a tradução de uma lista de palavras fora de contexto; treine os tradutores no software que será localizado.

Convide os tradutores a visitar seu site para participar de um curso padrão de treinamento de usuário ou dê treinamento para os tradutores. Use esse treinamento para estabelecer um relacionamento pessoal. Como os tradutores podem morar em locais diferentes, com diversos fusos horários, em outro país ou até mesmo em outro continente, o treinamento pode ser pelo computador, com uma simulação ou uma versão de demonstração colocada em seu site.

Se você trabalha com uma agência de tradução, providencie um curso de treinamento para os instrutores, a fim de treinar um representante da agência. O representante, então, treinará os tradutores e dará um suporte inicial para os problemas dos tradutores, entrando em contato com você apenas se não puder solucionar o problema de algum deles. Além do treinamento, apresente seu kit de localização (para que os tradutores se familiarizem com o guia de estilo) e o fluxo de trabalho que devem seguir.

Fase 3: Definição de terminologia. Nos documentos do projeto que ainda não estejam com a terminologia definida, uma terminologia consistente só será alcançada depois de custosas iterações. Defina a terminologia básica a ser usada na tradução da interface do usuário e na documentação. Essa terminologia inclui rótulos de botões, menus, funções e conceitos usados no software.

Fase 4: Tradução da interface do usuário. Depois de definir a terminologia básica, comece a localizar o software. A localização da interface do usuário pode ser executada com o auxílio de uma ferramenta de localização ou traduzindo-se um arquivo de recursos com strings. As ferramentas de localização de software funcionam da mesma forma que as de tradução, só que as regras de segmentação se aplicam às strings da interface em vez de se aplicarem às frases. Uma ferramenta de localização de software ajuda o usuário na definição de teclas de acesso a itens específicos do menu e pode exibir o formulário que está sendo localizado no momento.

Quando o software só puder ser localizado por meio da tradução de arquivos de recursos com strings fora de contexto, o tradutor deverá receber informações adicionais. O kit de localização deve conter uma descrição da sintaxe do arquivo de recursos com strings e de como lidar com caracteres de controle. Acrescente comentários às entradas do arquivo de recursos com strings para informar o contexto. Para facilitar a interpretação de strings sem contexto, forneça capturas de tela no idioma de origem.

Sempre reserve algum tempo para as perguntas dos tradutores.

 

$set 5

7   "d" $international unit for precision (digit)

16  "DISY Integrated Weighing" $do not edit or translate

54  " Scale " $first and last character must be spaces

59  "Error" $dialog box title

Bancos de dados de terminologia
 
Recursos de strings sem contexto, com comentários



Finalização da tradução da interface do usuário

No. Gerador

Data

Categoria

Descrição

1 FRA

12-Mar

Error

Source text, chapter1.doc, p.12, index entry: Prnt -> Print

2 Internal

22-Mar

Meaning-Doc

Description of parameter “Printer assignment”, chapter12.doc

3 ITA

22-Mar

Meaning-UI

Comment occurrences of “copy”, noun vs. verb

Histórico de lições aprendidas


Entradas de índice consistentes

Fase 5: Teste da tradução da interface do usuário. Para atender aos requisitos do produto, é essencial verificar detalhadamente a versão localizada do software. Preferencialmente, o tradutor deve testar a interface localizada. Quem fizer o teste deverá voltar sua atenção para uma ampla gama de tópicos.

Só se pode obter uma localização completa se todos os controles (rótulos de botões, dicas de ferramentas, menus, rótulos de campos e mensagens do sistema) estiverem traduzidos.

As teclas de acesso e os atalhos dos menus e controles de caixas de diálogo devem ser exclusivos dentro de seu escopo. A nomenclatura de formulários e controles deve ser consistente. Não alterne entre esquemas diferentes de nomenclatura como “Dados principais do usuário” X “Calendário – dados principais”. Use “Dados principais do usuário” e “Dados principais do calendário” ou “Usuário – dados principais” e “Calendário – dados principais”.

Verifique se as mensagens estão com estilo consistente. Isso requer um estilo consistente já no idioma de origem, porque o tradutor pode não perceber que você quis dizer a mesma coisa usando termos diferentes.

Como o tamanho do texto varia em diferentes idiomas, é necessária uma verificação visual de todos os formulários e relatórios. Essa verificação garante que o texto não fique truncado em função do tamanho.

Uma verificação visual posterior analisará a exibição de formatos de data e números específicos do idioma.

Fase 6: Tradução da documentação. Se você for localizar a interface do usuário e a documentação, deverá terminar e verificar a tradução da primeira antes de começar a da segunda. Cada modificação na tradução da interface do usuário requer a repetição dos testes dessa tradução com todas as verificações. Portanto, providencie tempo suficiente para testar a tradução da interface do usuário.

Para fins de referência, o tradutor precisa do software localizado ou do sistema inteiro na forma de captura de telas. Como primeiro passo na obtenção da consistência entre o sistema e a documentação, importe os textos localizados da interface do usuário para a TM que será usada na tradução da documentação. E sempre reserve algum tempo para as perguntas dos tradutores.

Fase 7: Revisão da tradução da documentação. Os requisitos de qualidade e facilidade de uso da documentação também se aplicam às versões localizadas. Se possível, a revisão dos manuais traduzidos deve ser feita por um tradutor que não seja aquele que traduziu a documentação.

Além da verificação lingüística, a revisão deve assegurar a consistência entre a interface do usuário e a documentação. Essa consistência é muito importante pois ela ajuda o usuário a localizar no manual a descrição de um formulário da interface do usuário e vice-versa.

O estilo consistente ao longo de todo o manual melhora a navegação, tanto na versão impressa quando na Ajuda online. Se você escrever Clique em OK para fechar o formulário de dados e Para fechar o formulário de dados, clique no botão OK, o tradutor pode se confundir e presumir que são conceitos diferentes por causa da diferença de estilos.

Outro componente da documentação usado na navegação é o índice. Entradas inconsistentes no índice podem resultar em orientação errada e menos operabilidade para o usuário.

Fase 8: Finalize a tradução da documentação. Depois de concluir e revisar a tradução da documentação, você pode finalizar a documentação.

Insira os gráficos nos documentos, aplique a formatação final, atualize o sumário e o índice e compile a Ajuda online.

Fase 9: Lições aprendidas. Essa fase aplica-se a todos os projetos, não só aos de localização. Examine o histórico das lições aprendidas.

Verifique as perguntas e relatórios de problemas dos tradutores para identificar possíveis melhorias no processo, do fluxo de trabalho ou dos documentos no idioma de origem.

   
Text Box: Lista de itens de projetos de localização    ü	Forneça todas as informações aos tradutores para minimizar os mal-entendidos.  ü	Identifique os riscos e leve-os em consideração no planejamento do projeto para estabelecer um plano realista.  ü	Use a regra básica - interface do usuário: 30%, documentação: 70%, em um cálculo aproximado.  ü	Defina um arquivamento de documentos consistente para os vários tipos de arquivos (recebidos, enviados, pré-testados, testados e versão final).  ü	Execute uma pseudolocalização dos textos da interface do usuário antes da localização para identificar textos não-localizáveis.  ü	Atualize o kit de localização para fornecer aos tradutores as informações adequadas.  ü	Mantenha o histórico das lições aprendidas a fim de reunir possíveis aperfeiçoamentos para os futuros projetos de localização.  ü	Responda rápida e eficazmente às perguntas dos tradutores para manter o processo de tradução em andamento.  ü	Verifique o cronograma e providencie uma reserva de tempo para evitar ter que lidar com tarefas no caminho crítico e atrasar o projeto.

Tarefas contínuas
Durante a execução de seu projeto de localização, você deve executar continuamente várias tarefas.

Monitore sempre o progresso da localização e compare regularmente o esforço e o tempo reais com o plano do projeto para estar sempre atualizado e poder ajustar o plano oportunamente.

Ao receber relatórios de problemas dos tradutores, responda imediatamente. Isso será a base de uma boa cooperação entre você e o tradutor. Verifique as perguntas também à procura de mal-entendidos. O tradutor é o primeiro usuário dos textos da interface e da documentação e, portanto, funciona como cobaia. Dependendo do tipo de mal-entendido, será preciso atualizar o texto da interface e a documentação. Inclua regularmente todos os incidentes no histórico de lições aprendidas; não espere a conclusão do projeto. Com certeza, você perderá algumas entradas se não o fizer. Anote as entradas com descrições significativas.

Verifique a consistência e a ortografia do texto traduzido em todas as entregas parciais e nos relatórios de problemas dos tradutores. Os testes em um estágio inicial são a chave da redução de custos.

Conclusões
As afirmações a seguir ajudarão você a estabelecer um processo de localização profissional.

A definição centralizada da terminologia a ser usada ajuda a evitar múltiplas iterações de correção. Para cada iteração, existe a repetição de várias etapas.


A interface deve ter sido exaustivamente testada antes da tradução da documentação, ou você correrá o risco de criar tarefas de correção para uma tradução ainda não concluída.

Geralmente, fornecer informações completas aos recursos externos poupa tempo. A definição de terminologia sem contexto fatalmente levará a termos incorretos.

A localização não pode corrigir todos os defeitos da versão original. Termos incorretos no idioma de origem podem ser substituídos por termos corretos no idioma de destino. Por outro lado, uma string
não-localizável permanece não-localizável. Esteja atento às diferenças no tamanho do texto no idioma de destino.

As quebras de página e o número de páginas variam de idioma para idioma. Os textos da interface devem ser reduzidos, principalmente quando se traduz do inglês para idiomas latinos. Caso a localização seja difícil ou mesmo impossível, informe os desenvolvedores logo no início para que o problema seja solucionado. A alta qualidade na internacionalização e na localização reduz o esforço de atendimento ao cliente no longo prazo.

 
Reproduzido da revista MultiLingual (2005, nº 75 Volume 16 Edição 7) com permissão da Multilingual Computing, Inc., www.multilingual.com.
 

Eva Müller é desenvolvedora de informações na Rockwell Automation/Propack Data.

Capa | English Version