Capa | English Version
Uma estratégia comprovada de globalização
Peter Reynolds explica os benefícios da ferramenta de globalização Idiom WorldServer e o programa de vantagens de sua empresa para fornecedores de serviços lingüísticos.

O comércio eletrônico atravessando fronteiras

O especialista em globalização John Yunkers fornece dicas valiosas de como obter retorno sobre o investimento feito no seu website.

Tornando sua empresa mais global
Kit Brown

Uma lista de itens muito útil para ajudar a aprimorar seus esforços de globalização

 

Para ser uma empresa internacional, tudo o que você precisa é de escritórios em vários países. No entanto, para ser realmente global é necessário adaptação, compreensão e sensibilidade multicultural, e que estejam disseminadas em toda a empresa — do presidente ao porteiro. Ser verdadeiramente global significa considerar conscientemente como cada ação — ou inação — afeta todos os seus clientes, fornecedores, distribuidores e funcionários, não importa em que lugar do mundo eles vivam. Significa criar esse tipo de atenção em todos os níveis da estrutura da empresa: organização, processo, produto e documentação.

Organização
No nível organizacional, a alta administração deve deixar claro que a globalização é parte essencial do plano estratégico da empresa, desde a marca corporativa até a análise de mercado e o design de produtos.

  • Crie conscientização e envolvimento entre os funcionários, principalmente na equipe de gerenciamento. As atividades podem ser simples, como lembrar a cada um para incluir o horário de Greenwhich (GMT) nas solicitações de reuniões, ou complexas, como uma auditoria corporativa completa em questões de globalização/internacionalização.
  • Determine as prioridades de localização/expansão para mercados específicos. Por exemplo, se metade de sua receita internacional vem do Japão, é provável que você queira concentrar naquele mercado os esforços iniciais.
  • Avalie a infra-estrutura existente para assegurar-se de que ela aceite uma estratégia de internacionalização. Por exemplo: você já tem escritórios internacionais? Esses escritórios têm um gerente de tradução ou alguém responsável pela análise das versões localizadas do produto? Quais os processos de localização utilizados atualmente nos escritórios internacionais? Qual percentual de suas despesas vai para o gerenciamento de localização?
  • Crie uma equipe com funções interdependentes a fim de determinar a melhor estratégia para a empresa. Como a internacionalização pode afetar todos os aspectos da empresa, e se você quiser uma estratégia de coesão, é importante que a equipe de estratégia conte com pessoal de documentação, web, engenharia, testes, produção, marketing e administração. Cada grupo terá necessidades diferentes, mas uma perspectiva singular sobre os problemas.
  • Identifique os principais agentes e divulgadores que serão responsáveis pela implementação de cada aspecto da estratégia. Isso requer envolvimento e compreensão da gerência quanto à importância da estratégia para o sucesso geral da empresa.

Levar o tempo necessário para considerar o mercado global durante o planejamento estratégico e criar a marca evitará gastos futuros de tempo e dinheiro, ajudará a criar uma estrutura sólida na qual as decisões relativas aos processos serão baseados e proporcionará a cada equipe um conjunto de metas e tarefas para implementar a estratégia.

Processo/tecnologia
A globalização acrescenta um nível de complexidade ao gerenciamento de projetos e à implementação de processos. A importância de se ter processos documentados que contemplem problemas de localização e comuniquem com clareza as responsabilidades, itens de ação, status e dificuldades aumenta com os vários sites, idiomas, culturas e equipes. Considerar essas questões ao desenvolver as práticas recomendadas ou ao avaliar a tecnologia ajudará a disseminar a globalização em toda a empresa.
 
  • Estabeleça protocolos para equipes virtuais e para reuniões. Freqüentemente, os membros da equipe estão em locais diferentes e não têm a oportunidade de se encontrarem pessoalmente. Isso, somado às diferenças culturais e às barreiras de idioma, pode dificultar a comunicação e a eficiência do trabalho em conjunto. Um bom caminho para o sucesso é oferecer diretrizes que estimulem o espírito de colaboração, usar a fase inicial dos projetos para conhecer os membros da equipe e concordar quanto às regras do grupo
  • Defina responsabilidades e identifique claramente a pessoa que irá “assumir e conduzir o processo”. O consenso é importante e trata-se de uma parte importante do trabalho em equipe, mas, em última análise, alguém precisa colocar o barco no rumo certo.
  • Documente todos os itens de ação e resuma por escrito as conversas telefônicas para garantir o entendimento. Confirmar se todos compreenderam o que foi dito pode evitar custosos mal-entendidos futuros, principalmente quando se está trabalhando em um segundo idioma.
  • Avalie as ferramentas para se assegurar de que elas atendam às necessidades da equipe de localização. Seu sistema de contabilidade aceita trabalhar com várias moedas? Suas ferramentas de documentação e seu código de software/firmware aceitam Unicode?
  • Desenvolva um sistema de gerenciamento de alterações e de controle de versões para oferecer estimativas mais precisas de localização e identificar com mais eficácia as alterações que a afetam.
  • Amplie os testes de aplicabilidade para incluir clientes internacionais.
   

Esses processos permitem que as empresas sejam mais organizadas e proativas em suas interações com a equipe de localização, além de baratear e agilizar a comercialização.

Design de produtos
Há algum tempo, correu uma triste história sobre uma criança que morreu porque o médico não conseguiu decifrar a codificação de cores da máquina de circulação extracorpórea (CEC) e, acidentalmente, retirou todo o sangue, quando a intenção era recolocá-lo. Esse problema poderia ter sido evitado se o design e a internacionalização estivessem focados no usuário. Faltou à máquina a identificação apropriada nos botões, e a codificação das cores não era intuitiva no meio cultural do médico.

Sua empresa está preparada para se tornar globalizada?
   

É muito mais fácil criar a internacionalização no design de um produto do que ajustá-lo depois. Entre as principais áreas a considerar, estão:

  • Diferenças normativas. Normas elétricas, médicas, financeiras e de outros tipos diferem de país para país. Ao considerar essas diferenças já no design, a empresa pode economizar muito em ajustes posteriores. Alguns exemplos: projetar botões que aceitem uma etiqueta com outro idioma em vez de moldá-la no gabinete do produto; isso permite que os aparelhos elétricos se adaptem aos conectores norte-americanos, europeus e asiáticos, ou garante que um programa financeiro aceite as diferenças dos princípios de contabilidade usados na Europa e nos Estados Unidos.
  • Preferências do usuário. Por exemplo, dependendo do local, os formatos de data/hora, números de telefone e códigos postais são diferentes.
  • Strings traduzíveis. Armazenar strings traduzíveis como arquivos de recursos em separado facilita enormemente a tradução.

A pesquisa e a consideração das necessidades de clientes globais durante a fase de design podem trazer uma economia significativa em retroajustes, devoluções e processos judiciais.

Conteúdo da documentação
As equipes de documentação são as que mais influenciam e controlam o conteúdo propriamente dito. Ao garantir que a equipe está produzindo uma documentação internacionalizada de alta qualidade, os gerentes de documentação podem contribuir significativamente para o resultado final.

Por exemplo, um erro apenas de compilação na versão em inglês de uma Ajuda online será passado adiante e multiplicado por cada idioma para o qual o sistema for traduzido. Se o erro precisar de uma hora para ser reparado na Ajuda em inglês, e se esta for traduzida para 23 idiomas, a equipe de documentação economizará pelo menos 23 horas se consertar o erro antes que a Ajuda seja localizada.

O aumento da consistência e o uso de terminologia padrão, cuidadosamente definida em um glossário, reduzem a quantidade de dúvidas do tradutor e aumentam a precisão e a eficiência da tradução.

Os elementos de documentação de uma estratégia eficaz de localização são baseados nos princípios fundamentais da boa escrita — consistência, clareza, precisão e organização.

  • Crie, atualize e faça uso de um guia de estilo, um glossário e modelos. Esses elementos garantirão a consistência ao longo de todo o conjunto da documentação e identificarão a terminologia padrão a ser usada.
  • Assegure-se da existência de um rigoroso processo de revisão, de forma que cada documento seja criteriosamente editado antes de seguir para a localização. O processo deve incluir revisões organizacionais, de conteúdo e de internacionalização. Isso não só melhorará a qualidade do documento de origem, mas também identificará e solucionará problemas, antes que cheguem à fase de localização.
  • Faça auditorias de internacionalização periódicas para garantir que a documentação atenda às necessidades do público internacional. A primeira auditoria define parâmetros e identifica problemas. As demais verificam se os problemas iniciais foram eliminados e se não surgiram novos. Lembre-se: quando o material não estiver claro no idioma de origem, não estará também em outro idioma.
  • Oriente os membros da equipe para que compreendam como o trabalho feito por eles na documentação original afeta o processo de localização.

Alterações pequenas e baratas na documentação podem aumentar significativamente a qualidade da localização, além de agilizar a comercialização e reduzir os custos associados à localização.

Conclusão
Ainda que a globalização de sua empresa possa parecer uma tarefa hercúlea, é possível dividir o esforço em blocos mais fáceis de gerenciar. Na maioria dos casos, a globalização é essencialmente uma questão de ajuste da mentalidade da empresa para disseminar, em sua cultura, considerações sobre como as atividades afetam os clientes, distribuidores, fornecedores e funcionários globais. O esforço leva tempo, mas resulta em uma “metamorfose”, uma transformação profunda dentro da organização.

 
Reproduzido da revista MultiLingual (2006, nº 82 Volume 17 Edição 6) com permissão da Multilingual Computing, Inc., www.multilingual.com.
Kit (M. Katherine) Brown é diretora da Comgenesis LLC, uma empresa de consultoria e serviços de comunicação técnica. Ela tem 16 anos de experiência em redação e consultoria para os setores de medicina, biotecnologia, meio ambiente e computadores, além de trabalhar há vários anos como consultora na indústria de localização.
Capa | English Version